Carta Para Julieta

By Luciana Souza - Maio Literário - 11:40


Querida Julieta,

Não lhe escrevo esta carta no intuito de lhe pedir um grande conselho sobre o verdadeiro amor ou sobre o que fazer para não perde-lo, escrevo-te esta pequena carta para lhe contar uma história de uma jovem que aprendeu que o amor é algo inexplicável e acima de tudo maravilhoso, ela aprendeu que de "porquês" em "porquês" todos construímos nossa história nas grandes paginas do verdadeiro amor.

Desde que era menina leio e ouço sobre as mais belas e até mesmo trágicas histórias de amor, dessas que só lemos nos romances de Julia e que nos fazem chorar nas telas do cinema, coisas que para nós são IMPOSSÍVEIS, como se o fato de seu melhor amigo ser seu amor verdadeiro ou as chances de você conhecê-lo num pub qualquer nas ruas de Nova York esteja muito acima de nosso alcance, quase como loucura mas não me deixo de perguntar por que nos deixamos viver tal amor entre filmes e livros mas não nos disponibilizamos a vivê-lo na realidade? A resposta é mesmo inevitável, por medo, medo de saber que os problemas nunca se resolvem como nos livros ou como nos filmes, por sabermos que as coisas são bem mais complicadas e que esperar anos entre encontros e desencontros acaba por nos desanimar e no fim desistimos dele, desistimos do amor e aceitamos aquilo que temos.

Li em um livro certa vez - que tenho certeza que adoraria se pudesse lê-lo - que "cada um tem o amor que acha que merece" e fico me perguntando qual o amor do medroso, do covarde, daquele que não sai de casa por vergonha ou por não saber como agir entre os outros, qual o amor para quem não ama a si mesmo Julieta? Essa é uma pergunta sem resposta eu sei, posso ate sentir sua expressão ao ler isso, mas releve por favor é apenas uma história não se esqueça.

Simplesmente acontece é o que dizem por ai, que o que tiver de ser será e todas essas frases clichês que usamos a fim de tentar alegrar quem está se afundando, mas me diga Julieta o que fazer com aqueles que perdem a fé, que se deixam cegar pelo medo e pela magoa e acabam por perder todas as oportunidades que o amor lhe dá? Me diga, diga que pode me ajudar a ajudá-los pois não sei mais como. Não que eu queira mudar o mundo - não sozinha pelo menos - mas gostaria de fazer algo pelo mundo, algo pelos amados e pelos perdidos, algo por essas almas que vagam em busca de algo que mal sabem onde possa estar.

Quanto a mim? Bem descobri que o amor está nas pequenas coisas, nos pequenos gestos e que ele não precisa vir propriamente do outro, afinal precisamos nos amor primeiro antes de oferecer amor a alguém e venho trabalhando nisso se quer mesmo saber, enquanto espero o dia do encontro com meu amor verdadeiro seja ele em pub qualquer na grande Nova York ou alguém que esteve ao meu lado a vida inteira, afinal sabe como é Julieta tudo simplesmente acontece.


Com amor,
Luciana.

  • Share:

You Might Also Like

7 Comentários

  1. Adorei o texto...e pra dizer a verdade me vi muito nesse texto.
    Muitas vezes me peguei pensando nessa frase também "cada um tem o amor que acha que merece" e vendo de perto a minha não devo merece muito ou o medo do que aconteça ou não. Sinceramente depois de tudo que já aconteceu só acho que tenho medo de tentar de novo.

    ResponderExcluir
  2. Sempre uma inspiração que toca a alma com suas palavras e seus textos tão honestos! Continue sempre escrevendo!

    ResponderExcluir
  3. Olá, parabéns pelo belíssimo texto! Cartas têm o poder de nos tocar e aqui não é diferente, mostrando que o amor é pura subjetividade. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Oi.
    Que lindo.
    Eu adorei essa frase: "Cada um tem o amor que acha que merece", eu adorei a sua reflexão sobre o assunto, e concordo com você, o amor está mas pequenas coisas e pequenos gestos.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Oi.
    Parabéns pela sensibilidade com as palavras. Escrever sobre amor, sempre traz emoção para quem lê. E com uma proposta de carta, mais lindo ainda.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Amei Carta Para Julieta, me identifiquei bastante em vários pontos, principalmente com "precisamos nos amar primeiro antes de oferecer amor a alguém" , sempre tento aplicar esse conselho no meu dia a dia, mas confesso que é difícil...

    ResponderExcluir
  7. Luciana, minha filha, tu é uma escritora maravilhosa!
    Eu tô apaixonada por esse seu texto, que lindeza!!
    Você já escreveu um romance? Fico no aguardo!
    Adorei mesmo!
    Linda carta! Você disse tudo!
    bjs

    ResponderExcluir